Por Que Eu Virei Vegano

UPDATE: Após ler este artigo, sugiro que confira meu Guia Vegano de Perguntas & Respostas

Introdução

Antes de começar o post, quero deixar uma coisa bem clara: eu sempre comi carne. Filet mignon, bacon, costelinha, peito de frango, presunto cru. Durante a maior parte da minha vida, essas palavras faziam minha boca salivar e minha imaginação fervilhar com diversas imagens quase indecentes de pratos nutritivos e saborosos. Quando eu digo que “virei vegano”, tem gente que me imagina como um monge iluminado ou um hippie natureba. Nada disso. Sou um cara normal que gostava de carne como todo mundo, e só virou vegano quando descobriu o que estava por trás da alimentação carnívora.

É claro que eu sabia que aquelas carnes tinham vindo de algum animal morto, todo mundo sabe disso! Se alguém me perguntasse de onde vem o bacon, eu prontamente responderia que é do porco. Mas enquanto eu comia, minha mente não estava realmente consciente do que eu estava fazendo.

No dia em que eu finalmente tomei consciência, eu virei vegetariano.

E, após um período de transformação, amadurecimento e conscientização, segui na minha jornada para virar vegano. Popularmente se usa o termo “vegetariano” para quem não come carne, e “vegano” para quem não consome nenhum produto de origem animal – incluindo ovos, leite e derivados, gelatina, colágeno, etc.

Se você começar a entrar nesse mundo, vai ver que existe termo para tudo: ovolactovegetariano é aquele que não come carne, mas come ovo e leite. Pescetariano é aquele que só come carne se for de peixe, etc. E mesmo para o veganismo, existem diversos níveis – já que até itens como sacolas plásticas e pneus podem levar ingredientes animais…

Mas vamos com calma, começando pelo básico:

POR QUE COMEMOS CARNE?

Antes de falar sobre o dilema de comer carne, acho razoável começarmos a conversa com uma explicação básica de como chegamos até aqui.

Não há nenhuma dúvida de que, historicamente, a carne teve um papel importantíssimo na trajetória do homem. A caça cooperativa entre nossos ancestrais provavelmente foi o que promoveu o desenvolvimento da linguagem e da socialização, e existem indícios de que o consumo de carne tenha sido um dos fatores que contribuíram para que tivéssemos um cérebro tão avantajado.

Em um cenário de escassez de alimentos e luta diária pela sobrevivência – onde a agricultura ainda não havia sido inventada – é completamente compreensível que os humanos comessem carne. Naquele tempo não existiam veganos. Se sobrevivemos épocas muito difíceis durante nossa existência na Terra, o consumo de carne foi um dos trunfos que nos possibilitou chegar até aqui. E, como esse tipo de hábito é passado de geração em geração, ainda hoje aproximadamente 90% da população mundial consome carne. Com uma carga histórica tão forte, é natural que o sabor da carne agrade nosso paladar – afinal, instintivamente significa que tivemos sucesso na caçada e vamos sobreviver mais um dia!

OU SEJA: Comíamos carne porque era necessário para a sobrevivência. Ninguém podia se dar ao luxo de ser vegano.

Mas será que hoje, com toda a disponibilidade de alimentos vegetais, ainda faz sentido comer carne? Existem mais de 600 milhões de vegetarianos por todo o mundo que afirmam que não é necessário comer carne para a sobrevivência – desde que se tenha uma dieta equilibrada e variada de frutas, castanhas, legumes, verduras e grãos. Inúmeros exemplos de atletas veganos comprovam que é possível ser saudável sem carne, como o Frank Medrano aqui embaixo:

Frank Medrano Vegano Bruno Padilha

Com 10% da população mundial vegetariana e diversos atletas de elite em todas as modalidades seguindo dietas sem carne, ovos, nem laticínios… Fica bem claro que é possível não apenas sobreviver, mas também atingir altíssimos níveis de boa forma com uma alimentação vegana.

Acho importante ressaltar esse ponto, pois um dos maiores obstáculos quando eu comecei a pensar sobre o vegetarianismo foi justamente a falsa noção de que o ser humano PRECISA de carne, ovos, leite, e outros derivados animais.

Se não PRECISAMOS de carne, então por que ainda comemos? Ora, porque é gostoso! E, se é gostoso, então por que não comer?

POR QUE SER VEGANO?

Eu não gosto de dizer o que as pessoas devem ou não devem fazer, mas fico feliz quando elas entendem as reais consequências por trás das suas escolhas. No caso da carne, a relação causa-efeito é muito simples:

Para você comer carne, animais precisam morrer. Mas você não come animais que morrem “de velhos”. Não… Para agradar ao seu paladar, é preciso que os animais sejam criados especificamente para o abate.

Então agora chegamos a um ponto crítico do post. Tudo se resume à seguinte questão:

Você fica feliz de saber que bilhões de animais são assassinados todos os dias das maneiras mais horripilantes e violentas?

Se sua resposta for “sim”, então nem continue lendo! Siga sua vida causando dor e sofrimento às criaturas inocentes que habitam nosso planeta, e eu torço para que um dia você compreenda o que está fazendo.

Agora, se sua resposta for “não”… Então temos um problema! Porque você está agindo de maneira oposta às suas crenças. Você não gostaria de causar dor, sofrimento e morte aos animais – mas está fazendo isso mesmo assim. Aliás, você talvez até goste de animais…

E é justamente por isso que eu escrevi este post. Durante a maior parte da minha vida, eu vivi em ignorância – no sentido de que eu não entendia exatamente o que estava acontecendo. Como fui ensinado a comer carne, nunca cheguei a realmente questionar como as coisas funcionavam.

Conforme fui aprendendo mais e mais sobre o tema, foi inevitável a transição para o vegetarianismo. Portanto o post de hoje possui apenas um objetivo: aumentar sua consciência sobre sua escolha de comer produtos animais.

E a melhor maneira de fazer isso é te trazendo os fatos. Você não é mais criança, e está na hora de entender que suas escolhas tem consequências. Não estou dizendo para você virar vegetariano agora mesmo. Ao invés disso, sugiro apenas que reserve alguns minutos para pensar sobre o assunto.

Se você fica triste quando um cachorrinho morre, se você achou horrível quando o Rodrigo Hilbert matou um filhote de ovelha na TV, se você acha um absurdo sacrificar 30 coelhos para fazer um casaco de pele, se você fica chocado com a cena de um caçador matando um bebê-foca com um porrete

Então, meu amigo, seu coração já é vegetariano.

Agora é hora de ser corajoso e assumir sua postura. Afinal de contas, você gosta de matar animais ou não? Se não gosta, a dieta carnívora não é para você.

Comece a ler sobre o vegetarianismo, pesquise no google, siga nutricionistas veganos no facebook e instagram. Não precisa ficar com medo de não conseguir fazer a mudança. O primeiro passo é querer. O segundo é se informar. Conforme você for ganhando mais conhecimento, faça evoluções graduais – como a Segunda-Feira Sem Carne.

Não pense em VIRAR VEGANO PARA SEMPRE, porque isso vai te desmotivar. Ao invés disso, pense em não consumir carne na próxima refeição.

Eu posso te garantir que É POSSÍVEL deixar de comer carne, e também deixar de comer ovos, leite e derivados. Com o tempo, fui conhecendo muitos outros veganos e vegetarianos que levam uma vida normal – e não passam fome nem vontade! Hoje em dia existem TANTAS opções alimentares que você não vai nem sentir falta.

Se você está interessado pelo vegetarianismo, inscreva-se na minha lista de e-mails onde eu compartilho conteúdo exclusivo como algumas receitas, perguntas & respostas, e até entrevistas com nutricionistas especializados!

RECEBA CONTEÚDO EXCLUSIVO!

Cadastre-se para receber conteúdo exclusivo e novos posts sobre veganismo.

Se você leu até aqui, saiba que já está no caminho para as mudanças! Garanto que a maioria das pessoas desistiu no meio do texto, porque não está nem aí para a morte violenta dos animais ou porque acha que não é capaz de virar vegetariano.

Mas você PODE.

Acredite em si mesmo, e junte-se aos 10% da população mundial que não come carne. Assuma responsabilidade pelas suas escolhas, e faça com que cada refeição seja uma atitude consciente em direção ao mundo que você deseja criar.

Toda vida é sagrada. O caminho para a paz é o da não-violência, e isso inclui os animais. Lembre-se que seus hábitos foram construídos ao longo de décadas, mas você pode escolher novas atitudes a partir de agora.

#GoVegan

PS: A foto do post é de um hamburger vegano da lanchonete Ala Verde em Campinas/SP. Simplesmente delicioso! Quando você for lá experimentar, diga que é leitor do meu blog ;]

 


EDIT 16/04/2016: Guia Vegano de Perguntas & Respostas

Após publicar meu post “Por Que Eu Virei Vegano”, comecei a receber inúmeras questões dos meus leitores – principalmente no meu facebook.

  • Mas e a proteína?
  • Carne eu até entendo, mas porque não comer ovo?
  • E se você estivesse em uma ilha deserta somente com uma vaca?
  • Etc…

Todo vegetariano/vegano está acostumado a lidar com esse tipo de questionamento diariamente, já que nossa escolha de vida não é muito bem compreendida pela maioria das pessoas. Eu honestamente não fico chateado de responder essas perguntas, na verdade até gosto porque vejo como uma oportunidade de:

a) Passar adiante um pouco de conhecimento;

b) Reforçar para mim mesmo os motivos das minhas decisões;

c) Ajudar a difundir a causa do veganismo.

No entanto, muitos dos meus amigos veganos já estão “de saco cheio” de ter que ficar explicando as mesmas coisas toda vez que negam um pedaço de bolo porque tem ovo, ou uma bolachinha que contém leite.

Mas agora seus problemas acabaram!!! 😉

Resolvi organizar dezenas de perguntas frequentes e montar um verdadeiro Guia de Perguntas & Respostas Sobre o Veganismo que pode ser usado por você como referência nas inconvenientes situações onde se veja pressionado a explicar suas escolhas.

Esse guia também serve para você que está pensando em virar vegetariano/vegano, mas ainda não está 100% convencido. Muitas perguntas vão surgir, e você encontrará a resposta de várias delas no guia.

Portanto, aqui está o meu Guia Vegano de Perguntas & Respostas.

Faça bom proveito 😉

 

Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *